Panela de chá – Leilão de manuscritos e originais de escritores

Acontece na próxima terça-feira, dia 25 de maio, a Panela de chá – II Leilão de manuscritos e originais de escritores em Pernambuco. Rola no Espaço Muda, na rua do Lima, 280 (ao lado do Jornal do Commercio).

Ano passado fizemos o primeiro leilão, chamado Sarapateliterário. Foi no Pasárgada. Foi a primeira edição e as lembranças que tenho são muito boas. Uma coisa mágica você ver as pessoas dando lances pelos originais dos escritores, o que pra mim era um reconhecimento pelo trabalho deles, pelo seu processo criativo. Os originais de O amor não tem bons sentimentos, de Raimundo Carrero foi arrematado por R$ 500,00 por um empresário pernambucano, cara de visão que reconheceu o valor daquele documento vivo, que em alguns anos se tornará mais valioso ainda como um artefato da história da literatura contemporânea produzida em nosso estado.

Lembro que nossa preocupação no Urros era que os manuscritos fossem para mãos que os respeitassem, então criamos um termo de responsabilidade que todos os compradores assinam, se certificando que devem preservar as peças arrecadadas e comunicar para nós se decidir se desfazer. Isso porque consideramos que é importante não perder de vista estas peças, que deveriam fazer parte do acervo de bibliotecas, instituições de ensino etc.

A esperança é que este ano as pessoas tomem consciência da importância desses originais. Como interessado pela crítica genética, não posso deixar de ficar extasiado com a visão de originais como o de Samarone Lima, de Viagem ao Crepúsculo: cheio de modificações, rasuras, correções que revelam o percurso do autor até a obra publicada.

Em se considerando o valor genético, me chama a atenção também os originais de Galileia, de Ronaldo Correia de Brito. Para começar, a versão doada para a FreePorto se chama “Davi entre as feras”, título anterior do livro, que provavelmente se chamava simplesmente “Davi”, já que “entre as feras está escrito a lápis. Há movimentos genéticos interessantíssimos, como uma passagem em que o autor substitui “Antonioni” por “um cineasta”, o que mostra um desejo de retirar um tom mais elitista da fala do personagem e ‘simplificar’ sua fala, aumentando a comunicabilidade da sequência como um todo.

Mais importante: o romance, como está, é muito diferente da versão final, uma vez que as personagens ainda não têm o delineamento que terão em Galileia e fragmentos inteiros foram suprimidos. A bem da verdade, o livro cresceria e posteriormente seria mais uma vez enxuto até chegar à publicação final. Em conversa com Ronaldo, confessou que, se o processo de escrita do romance tivesse cinco partes, essa representada nos originais seria a fase dois. O autor não explicitou se seriam cinco fases pré-editoriais ou não, mas nota-se claramente que se trata de um texto que revela muito das decisões tomadas posteriormente pelo autor em direção do seu premiado livro.

Fica então o convite a todos para adquirir manuscritos e originais desses autores que tiveram a delicadeza de doar ao Urros Masculinos e à FreePorto essa ferida aberta que são esses documentos, retrato marcante de sua escrita, de seu belo processo criativo.

O Grupo Paés preparou uma embalagem exclusiva que vai acomodar cada uma das peças leiloadas, uma coisa chique! Apresentações de Artur Rogério e Raimundo de Moraes, Bruno Piffardini e Leo Zadi, Dremelgas e coisa e tal. Eu, fico de mestre de cerimônia. Vamos lançar oficialmente a FreePorto neste dia. Preparem-se pra surpresas. Lançaremos até um prêmio literário. Aguardem! O convite para o evento vai aqui embaixo:

Etiquetas:
,
Sem comentários

Comente