Novidades de Literatura no Funcultura

O edital do Funcultura foi lançado com novidades ontem no cinema São Luiz. Para a área de Literatura são 1,35 milhões de reais em linhas de difusão, formação e pesquisa. Este ano conseguimos, através do diálogo com a sociedade civil, implementar diversas mudanças para a área, que explico brevemente por aqui.

Primeiramente, corrigimos algumas disparidades que havia nas linhas de publicação e que impediam que mais obras fossem publicadas com os recursos disponíveis. Ampliamos de 50 mil para 60 mil os recursos para publicações de poesia e ficção, além de incluir os gêneros ‘ensaio’ e ‘novela’. Essas linhas, no entanto, estão subdivididas em linhas de 30 mil, o que possibilita, por exemplo, a publicação de dois livros de poesia ao invés de um, como era habitual.

Outra mudança diz respeito à possibilidade de a linha de cordel brindar o romance (com folhetos de 32 a 64 páginas) ou coletâneas de cordel. Embora a linha já estivesse no Funcultura há vários anos, a redação anterior aparentemente não era atrativa e poucas obras se inscreviam.

Também várias linhas tiveram seu escopo ampliado, de modo a possibilitar mais ações. Por exemplo, ao invés de uma linha apenas para ‘recitais’, a linha 12 prevê “Realização de recitais, rodas de leitura ou outras atividades de encontros entre autores e leitores”. A linha 9 prevê agora também a criação e manutenção de fanzines literários. Os encontros intermunicipais de literatura podem ser agora realizados em um único local, desde que garanta a participação de autores das quatro macrorregiões, fomentando a circulação de artistas. A mesma coisa acontece com programas de rádio, que passam a ser permitidos para todas as regiões. Com o advento da internet, o alcance do rádio passa a ser muito maior. Na área de pesquisa, amplia-se o corpus, possibilitando que qualquer manifestação de literatura oral possa ser investigada, inclusive na Zona da Mata.

Um avanço que consideramos super importante é a criação de duas linhas de bolsas de criação para literatura (poesia, gêneros dramáticos ou ficção) e crítica literária (ensaio ou residência). Uma demanda antiga do setor, foi colocada como uma das ações do planejamento estratégico da Secretaria de Cultura para a linguagem de Literatura. São 40 mil reais para que escritores, dramaturgos e críticos possam dedicar-se integralmente por determinado tempo para sua escrita ou sua pesquisa.

Mais avanços surgem em formação: as atividades de formação de público leitor também permitem a renovação de acervos de bibliotecas comunitárias e espaços de leitura, desde que atrelada à mediação. Isso foi possível porque ‘livros’ passaram a ser material de consumo, possibilitando a compra por parte dos proponentes, o que não era permitido.

Agora, é importante divulgar este edital e essas novidades, de modo a garantir que essas ampliações sejam aproveitadas por todos.  Uma coisa básica é fazer seu cadastro de produtor cultural. Para inscrição e renovação do CPC, os produtores devem entregar formulário e documentos necessários na Secretaria Executiva do Funcultura, na sede da Fundarpe, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h. Aqui encontrará o formulário. Os documentos exigidos para inscrição e renovação do Cadastro de Produtores Culturais devem ser observados com atenção, pois o prazo é até dia 11 de janeiro. Vamos lá!

Etiquetas:
4 Comentários
  • Helder Herik
    Postado às 10:49h, 30 dezembro

    Beleza Wellington. A literatura se fortalecendo ainda mais.

  • sidney rocha
    Postado às 11:34h, 29 dezembro

    excelentes conquistas.