Rebecca Kersley desafia a crise das livrarias

Singularidade e buracos negros

BURACO NEGRO

Um conceito da astrofísica é muito produtivo para refletir sobre o momento que vivemos com a crise das livrarias. Sim, ela não acabou nem começou com os acordos de recuperação judicial e coisa e tal. Refiro-me ao conceito de singularidade, usado para referir-se ao ponto dentro de um buraco negro onde as leis da física perdem o sentido.

Nem a luz escapa da gravidade dentro do horizonte de eventos de um buraco negro. O mundo livreiro entrou num horizonte de eventos que não permite a alguns perceber que as normas antes aplicadas já não vigoram. Por isso, ignorar a singularidade pode atrair livrarias a um buraco negro sem volta.

Compreendê-la para adaptar-se pode ser a resposta. Há muitos exemplos do primeiro caso. Queria falar sobre um exemplo do segundo.

BOTO COR-DE-ROSA

Nadando contra a gravidade

A Boto-cor-de-rosa, especializada em literatura contemporânea, foi fundada por Sarah Rebecca Kersley em 2015, na charmosa Barra, em Salvador. Com curadoria da crítica Milena Brito, tinha um café, com programação para aproximar o público do espaço.

Mas as contas não batiam e Rebecca decidiu, em vez de desistir, reinventar-se a seguir nadando — para longe da gravidade do buraco negro. Entendeu a tempo a singularidade.

CONSUMO

CRISE DAS LIVRARIAS

A livraria como espaço físico precisa transformar-se em livraria enquanto potência, energia. E a Boto entendeu isso também. Se presa ao modelo tradicional, não repensaria o próprio conceito de ocupação: a livraria hoje se divide entre dois espaços coletivos em Salvador, participa de eventos e feiras, e mantém comercialização pela internet.

Em todo lugar, seu acervo e sua concepção curatorial. Inclusive, criaram também um selo próprio, o paraLeLo13S, que vai lançar neste mês seu  oitavo livro, girassóis estendidos na chuva, de Louise Queiroz.

Desde a marca, que nem parece com um boto, e é azul — e não rosa, dona ministra —, até a definição como “projeto cultural” e não simplesmente livraria, a Boto-cor-de-rosa nos provoca a repensar o que parece óbvio. Isso é o avesso de um animal em extinção rumo a um buraco negro. Aprendam.

Texto publicado originalmente na coluna Mercado Editorial, do Suplemento Pernambuco,  de maio de 2019.

Etiquetas:
Sem comentários

Comente